FETRACOM tem dívida de R$ 300 Mil e está fechando as portas

Na tentativa de estancar a difícil situação financeira e a falência das atividades da Federação dos Trabalhadores do Comércio do Amazonas (FETRACOM-AM), está fazendo com que o presidente da entidade no Estado, Elias Sereno, tome atitudes próxima do desespero.

Entre elas, a de aliar-se à empresa Norauto Transportes, que faz rota para a Refinaria Isaac Sabbá, no Distrito Industrial, para que ela financie ações contra sindicatos que tem a vida financeira definida e, em troca, a Federação assina acordos de rebaixamento de salários e convenções coletivas desfavorável ao trabalhador e faz vista grossa no número de trabalhadores registrados legalmente na empresa. É o que está claro na ação que tramita na 3ª Vara do Trabalho de n° 00001955-70.2016.5.11.0003.

Grupo especializado em forjar documentos para destituir diretorias de sindicato – foto: montagem

A trama sempre é a mesma, a Fetracom firma parceria com a Norauto e juntas, elas entram em sindicatos de outras categorias, para encontrar recursos de contribuições sindicais que possa cobrir dívidas da Federação, que hoje chega a mais de R$ 300 Mil.

Exemplo: no processo 0002182-95.2014.5.11.0015, a Fetracom tem que devolver o valor de R$ 173.737,02 de mensalidades sindicais que teriam se apropriado indevidamente de outra entidade sindical.

A Norauto também é acusada de maquiar o número de trabalhadores em atividade na empresa. Ou seja, dos 200 trabalhadores registrados pela apresenta pouco mais de 80 exercem as atividades regularmente. Os outros são ‘funcionários fantasmas’, que servem apenas para manutenção de contrato com a Petrobrás.

Procurando um telhado para se abrigar

São muitas as denúncias de irregularidades na Norauto e na Fetracom, até a de que eles estariam procurando um “telhado para se abrigar”. No caso, o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes Especial (Sindespecial), que eles viram como meio de sobrevivência para a Federação falida. Pois o presidente da Fetracom e seus advogados estão sem renda para se manter.

No desespero o advogado Elias Sereno, na igreja, pedindo para ser perdoado pelos maus feitos nos sindicatos de Manaus – foto: facebook

Na tentativa de entrarem no Sindespecial pela porta dos fundos, a presidência da Fetracom juntou documentos inverídicos, falsos, para forçar uma decisão na Justiça do Trabalho. A Fetracom teria financiado um grupo de desempregados, que entraram com ação na Justiça do Trabalho pedindo a deposição da diretoria eleita com mais de 87% dos votos da categoria, e empossar uma junta governativa indicada por eles.

Decisão

Mas o Tribunal Regional do Trabalho (TRT-AM) no MS. 000234-24.2018.5.11.0000 reconheceu a Junta Governativa escolhida em Assembléia Geral dos trabalhadores, formada por trabalhadores sindicalizados. O que pôs fim nas más intenções do conhecido grupo de desempregados, que se se especializou em liminar para derrubar diretorias sindicais de todos os seguimentos.

Com essa decisão, o SINDESPECIAL voltou a funcionar regularmente a partir do dia 22 de junho, com a Junta Governativa formada por William Enock (presidente), Gabriel Marinho (tesoureiro) e Leandro Furtado (secretário geral), fazendo o atendimento normal aos trabalhadores associados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *