Filha de empresário “toca o terror” durante paralisação do Especial

A filha do proprietário da empresa do fretamento Transvida, Daniela Bacelar (a Dani), foi a única a tentar tumultuar a paralisação e os protestos pacíficos feitos pelo Sindicato dos Transportes Especial (Sindespecial), hoje (16) contra a onda de assaltos nos ônibus, que levam os funcionários das empresas para o Distrito Industrial.

Daniela foi um caso isolado de violência dentro da paralização e, por pouco não causou um atropelamento, que poderia tirar vidas de pais de família. Ela usou o ônibus como arma para atropelar os pedestres que estavam no local.

Dani está tocando o terror nos transportes Especial.
Dani está tocando o terror nos transportes Especial.

Como filha de proprietário de empresa do fretamento, é certo que a empresária e advogada Dani Bacelar não aderiria à paralisação, tanto, que os diretores e trabalhadores do Especial abriram um corredor entre os ônibus, para quem não quisesse participar do movimento contra a onda de assaltos, seguissem em frente.

Mas a Dani preferiu descer do ônibus, discutir e agredir fisicamente os diretores e trabalhadores para dar a entender que ela estava sendo agredida e, quando não conseguiu o seu intento, voltou para o veículo e encorporou o espírito de terrorista e saiu em alta velocidade em um corredor estreito, quase atropelando os motoristas e outras pessoas pelo caminho sem se preocupar nem com a vida de seus passageiros, que filmaram todo o ato de irresponsabilidade de Dani.

Não é a primeira vez que ela usa o veículo para passar por cima de associados. O motivo sempre é o mesmo: o Sindicato vem exigindo que a Transvida se regularize junto ao INSS, onde deve quase R$ 1,5 milhão além de não pagar plano de saúde, salários compatíveis com a função aos seus motoristas. Daí a divergência dela com a direção do Sindicato.

Na visão do presidente do Sindespecial, William Enock, o protesto foi satisfatório com a diretoria do Sindicato se reunindo até com o governador David Almeida, que se mostrou preocupado e quer ajudar a categoria a resolver a onda de assalto na cidade.

3 comentários em “Filha de empresário “toca o terror” durante paralisação do Especial

  • 17 de agosto de 2017 em 11:18
    Permalink

    Estava na rota e quem iniciou a violência foi o Sindspecial. Quebrando retrovisor e jogando pedra no ônibus. Tenho fotos e vídeos. Tudo porque ela não quis parar o ônibus na paralização e exercendo seu direito de ir e vir.

    Resposta
  • 17 de agosto de 2017 em 20:11
    Permalink

    É isso aí se fosse um funcionário dela já teria dado justa causa. Agora o Denatran Detran ou Dernit deveriam e cassa a CNH dela. E o ministério do trabalho fazê compri a lei.

    Resposta
  • 19 de agosto de 2017 em 10:07
    Permalink

    Ninguém fala do filho da P. Arremessando uma estaca na direção do rosto da condutora. Se acerta? o que teria acontecido?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *