Justiça barra Assembléia de grupo que tentava tomar o Sindespecial

Trabalhadores dos Transportes Especial (Sindespecial) se surpreenderam com um edital de convocação de Assembléia Geral Extraordinária, chamando a categoria para decidir por uma nova junta governativa, nesse dia 09 de julho, a ser escolhida entre os presentes, para um mandato de até seis meses e que teria a finalidade de chamar a eleição para a escolha da diretoria definitiva.

Se a mesma convocatória não tivesse acontecido há pelo menos 20 dias, com Assembléia Geral realizada, com a escolha da Junta Governativa registrada no Tribunal do Trabalho e o sindicato funcionando normalmente, os trabalhadores não teriam estranhado a publicação feita em um jornal impresso da cidade.

Geraldo Firmino pode pagar multa de R$ 50 Mil dia, caso desrespeite decisão da Lei – foto: divulgação

Tentativa de golpe

Ocorre, que a Assembléia era mais uma tentativa de golpe do grupo financiado pelo presidente da Federação do Comércio (Fetracom-AM), Elias Sereno e, coordenado pelo desempregado e encostado do INSS, Geraldo Firmino, com a assessoria do ex-metalúrgico desempregado João Brandão.

A convocatória para a Assembléia desse dia 09 de julho, foi assinada pelo ex-motorista Manoel Reis Silva Mendes e Nazareno Rosário de Lima, com uma condição: que os dois entrassem na junta governativa, que já estava “pré-escolhida” pelo grupo que hoje luta desesperadamente por um sindicato que tenha as suas finanças equilibradas.

Assembléia impugnada

Não precisou nem do resultado da Assembléia para o Ministério do Trabalho expedir uma liminar impugnando toda e qualquer decisão tomada. A Assembléia não teria amparo legal, uma vez que, o próprio Tribunal do Trabalho já havia reconhecido a Junta governativa escolhida pelos trabalhadores, em uma Assembléia Geral e, com resultado solicitado em peça jurídica, pelo próprio Tribunal.

A tentativa de induzir o judiciário ao erro, elegendo outra junta governativa sem legitimidade jurídica e formada por pessoas não ligadas à categoria de trabalhadores, não saiu das intenções do grupo. Eles foram barrados pelo Oficial de justiça, antes que pudessem incorrer em mais um delito contra o patrimônio Sindical. Mas, nem precisava. A categoria, sabendo das mas intenções do grupo de desempregados, também se prontificou a ir à Assembléia. Eles se fizeram presentes, com mais de 100 trabalhadores prontos para ratificar a Junta Governativa escolhidas por eles, em outra Assembléia.

Pronta para ir ao Banco

Sempre que esse grupo chegou à uma direção de sindicato (Hoteleiros, Rodoviários, Construção Civil, Especial), sempre pelos mesmos meios, a primeira medida que eles tomam, quando a junta governativa toma posse, “é correr para o caixa bancário” para fazer uma limpa nas contas do sindicato e, quando saem por decisão judicial, pilham tudo que veem pela frente. Eles estão investindo nisso. Todos estão desempregados, e com a Federação falida.

Decisão da Justiça:

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *